Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Cobrapol convoca assembleia geral para o dia 14

Por Imprensa (sexta-feira, 7/05/2010)
Atualizado em 7 de maio de 2010

Comissão Coordenadora do Movimento em Defesa dos Policiais delibera por greve geral


A Comissão Coordenadora do Movimento em Defesa dos Policiais, que entidades dos policiais civis e a Cobrapol fazem parte, reuniu-se na última terça-feira (04/05), e deliberou que sindicatos devem realizar assembleias estaduais, na próxima quarta-feira, dia 14 de maio, para deliberar sobre indicativo de greve geral nacional partir do dia 19 de maio, às 9 horas.



 


O presidente do Sindpol, Carlos Jorge da Rocha, também está em Brasília participando das negociações junto aos deputados e ao senador Renan Calheiros, autor da PEC 446/2009. De acordo com Carlos Jorge, o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), deu um prazo de até o dia 19 de maio para colocar a PEC do piso nacional em votação no plenário da Câmara.


 


O presidente da Cobrapol, Jânio Bosco Gandra, ressalta que a greve só será deflagrada se a Câmara dos Deputados não votar o substitutivo aglutinativo (Proposta de Emenda à Constituição 446/2009 e PEC 300/2008) que cria o piso salarial nacional das polícias.


 


A PEC já foi votada em primeiro turno, mas foi retirada da pauta por meio de um acordo do Colégio dos Líderes sem que os destaques apresentados à matéria fossem analisados. “Uma situação que fere por completo o Regimento Interno da Câmara dos Deputados”, destaca Gandra.


 


Com a missão de recolocar o substitutivo aglutinativo global (PEC 446/2009 e PEC 300/2008)  na ordem do dia do plenário da Câmara, a Cobrapol, em conjunto com a Frente Parlamentar em Defesa dos Policiais e Bombeiros Militares, está colhendo assinaturas de deputados que votaram a favor do piso salarial nacional para anexar a um requerimento que será entregue ao presidente da Câmara, deputado Michel Temer.


 


Na reunião da Comissão, também foi aprovada uma nota da Cobrapol que será distribuída aos policiais. No documento, a Confederação destaca que a política adota pelos governos estaduais é de impor baixos salários e controle da categoria com o pagamento de horas extras, gratificações diferenciadas e prêmios por desempenho a pequenos grupos. “Com isso, o Estado mantém o controle da maioria do contingente. É NECESSÁRIA A LUTA NACIONAL PELA VALORIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA POLÍCIA CIVIL, com a aprovação da PEC 446/300, a qual estabelecerá a oportunidade de uma nova discussão por um salário superior a R$ 3.500,00 para nível médio e R$ 7.000,00 para as carreiras de nível superior das Polícias no Brasil”.


 


No final da nota, a Cobrapol convoca a realização de assembleia geral, para o dia 14 de maio, às 9 horas, local a ser definido pela entidade sindical estadual. Na pauta, greve geral por tempo indeterminado, a partir do dia 19 de maio, caso a PEC 446/300 não seja aprovada até o dia 18 deste mês.



Sindpol com informações da Cobrapol

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2020 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS