Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Conselho recomenda que nomeação de coronel seja revista

Por Imprensa (segunda-feira, 30/05/2011)
Atualizado em 30 de maio de 2011

Lyra disse não haver expectativas sobre a decisão do governador, mas destacou que Vilela já acatou recomendações anteriores do Conselho de Segurança.


 


Conselho de SegurançaA discussão sobre a nomeação do coronel Roberto Liberato para o cargo de Perito Geral do Estado teve outro capítulo na manhã desta segunda-feira. A Associação dos Peritos de Alagoas levou o caso ao Conselho Estadual de Segurança Pública, que decidiu encaminhar ao governador Teotonio Vilela Filho uma recomendação para que a nomeação do militar fosse revista. O conselho entendeu as razões apresentadas pelos peritos e considerou a nomeação `imprópria’, embora não seja legal.


O presidente do Conselho de Segurança, Delson Lyra, disse que a entidade recomendou que o ato fosse revisto com a possibilidade de nomeação de uma pessoa de carreira para assumir o cargo, mas reitera que o colegiado não possui poder de interferir nas decisões do governador. “A nomeação de uma pessoa estranha à função não contribui para a busca da eficiência, além de ser contrária a luta de mais de uma década pela afirmação da independência dos órgãos periciais no país”, comentou.


O presidente preferiu não comentar as razões para a nomeação de um militar no cargo de Perito Geral, no entanto, acredita que a decisão é “um passo atrás” nesse processo de independência da perícia.


Lyra disse não haver expectativas sobre a decisão do Governador, mas destacou que Vilela já acatou recomendações anteriores do Conselho de Segurança.


Repercussão


O coronel Liberato assumiu oficialmente a Perícia Geral do Estado no dia 23 de maio no lugar da perita Ana Márcia Nunes. A decisão causou revolta à categoria e repercutiu nacionalmente entre as associações, a exemplo da Associação Brasileira de Criminalística e o Conselho Nacional de Segurança Pública. As entidades nacionais estão se mobilizando, desde então, para sensibilizar o governador para a necessidade de rever a nomeação.


Na última quinta-feira, 26, os peritos que ocupavam funções de confiança no Instituto de Criminalística (IC) protocolaram seus pedidos de exonerações dos cargos, tal qual os diretores do Instituto Médico Legal de Maceió e Arapiraca. Os órgãos permanecem sem diretores até o momento.


Segundo a Associação dos Peritos, os serviços continuam paralisados e apenas laudos emergenciais estão sendo assinados.


Alagoas24Horas – Danielle Silva

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS