Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Disparos de ex-militar pode ter sido para assustar casais, diz LGBT

Por Imprensa (domingo, 6/11/2011)
Atualizado em 6 de novembro de 2011

A violência no bairro do Jaraguá volta a ser questionada pela população. Desta vez, quem chama a atenção para a onda de crimes que acontecem na região são os integrantes da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABLGBT).


O assunto voltou a tona esta semana após um ex-militar do exército, armado, efetuar por volta das 3 horas da madrugada, disparos em via pública. O fato ocorreu nas proximidades da boate Havana, estabelecimento destinado a casais homossexuais.


No momento dos disparos, vários casais estavam em frente à boate, causando tumulto e muita correria. O representante estadual da ABGLT, Dino Alves, disse ao CadaMinuto que não dá para afirmar se os disparos efetuados pelo ex-militar tinha como `alvo’ os freqüentadores da boate, mas que especula-se que o objetivo dele possa ter sido de assustar, aterrorizar os homossexuais do local.


Alves contou ainda que, normalmente, no horário em que aconteceu o incidente, vários casais ficam em frente à boate. “Eles esperam o dia amanhecer para pegar ônibus e seguir para as residências. No local também tem vários carrinhos com lanches. São muitas pessoas que ficam em frente ao local”.


Segundo Alves, os problemas no Jaraguá relacionados com a segurança são crescentes. Nas proximidades da boate, ele afirma que existe um local já conhecido como `cracolândia’. “O número de consumidores de drogas na região é enorme. Basta passar pelo local por volta das 18h que se pode notar a presença dos viciados. O uso de drogas é totalmente livre”.


Além das drogas, o número de assaltos a estabelecimentos comerciais vem assustando e afastando empresários do Jaraguá. Vários pontos já foram fechados e o que se observa é a presença de placas com anúncios de `Vende-se’, já que os empresários afirmam não agüentar mais os prejuízos.


Os disparos


O ex-soldado do Exército Jonson Silva Moraes, 21, foi preso pela Polícia Militar (PM), após efetuar nove disparos de pistola, calibre 380. A guarnição da PM chegou ao local, no momento que Jonson (que saiu recentemente do EB) empreendia fuga, no Fiat Stilo, cor cinza, placa MVB 8681/AL. Houve perseguição e o veículo acabou interceptado no início da Avenida Fernandes Lima, no Farol, na companhia de um amigo.


Os policiais apreenderam em poder do acusado, uma pistola e cerca de 10 munições intactas. A informação de que Jonson não é mais do militar, foi fornecida por uma guarnição do Exército que esteve na Central de Polícia de Maceió, no Prado.


O delegado Isaias Rodrigues, responsável pela autuação do ex-soldado em flagrante, revelou que ele está sendo acusado de porte ilegal de arma de fogo, crime que é agravado pelos disparos em via pública.


Após o interrogatório, o delegado determinou que ele fosse conduzido para Casa de Custódia da Polícia Civil, no Jacintinho.


Com informações da PC/AL – por Anna Cláudia Almeida –  PC/AL

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS