Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Dois reeducandos são encontrados mortos dentro do Baldomero Cavalcanti

Por Imprensa (segunda-feira, 31/01/2011)
Atualizado em 31 de janeiro de 2011

Três diretores do sistema penitenciário `caem’ após morte de presos

Três diretores do sistema penitenciário `caem’ após morte de presos
Intendente diz que havia um terceiro detento na enfermaria onde dois presos foram executados


Dois reeducandos são encontrados mortos dentro do Baldomero Cavalcanti
Corpos encontrados na enfermaria do presídio apresentam perfurações de arma branca e sinais de enforcamento.


Depois de uma longe reunião que discutiu os problemas e fragilidades do complexo prisional de Alagoas, a Intendência do Sistema Penitenciário anunciou, no início da tarde desta segunda-feira (31), que todos os diretores do Baldomero Cavalcanti foram destituídos dos cargos. As exonerações serão publicadas no Diário Oficial de amanhã. O encontrou ocorreu entre o intendente penitenciário Carlos Luna e o Ministério Público Estadual, na Vara de Execuções Penais, no Fórum da Universidade Federal de Alagoas.


De acordo com o intendente Carlos Luna, a gerência geral do Baldomero não está mai sob a responsabilidade do agente penitenciário Diego Dardeno. Os agentes Wallace Jesus Ramalho e Alex Sandro Silva também não ocupam mais as funções de diretor de segurança e disciplina e administrativo da penitenciária. A direção da unidade será assumida, interinamente, por 30 dias, pelo atual diretor geral de unidades prisionais, Glauber Melo.


“Por enquanto, não temos suspeitas de prevaricação, mas achamos que a melhor saída seria exonerar os diretores, até mesmo para que as investigações aconteçam com maior tranquilidade. No final da apuração, teremos as respostas que precisamos”, garantiu o coronel Luna.


Intendência confessa `falha’ na segurança


“É dever do Estado oferecer a custódia e a segurança dos reeducandos. Se houve duas mortes é porque realmente aconteceram falhas na segurança, principalmente porque os assassinatos ocorreram na enfermaria, local onde os detentos estavam convalescidos por problemas de saúde e precisavam de cuidados especiais”, confessou Carlos Luna.


Segundo o intendente, havia um terceiro preso na enfermaria junto aos outros dois que foram assassinados. Todavia, o reeducando não confirmou se presenciou as mortes e preferiu se calar em seu depoimento à polícia. “Ele disse que preferia não dizer nada. Talvez se convença de que deve contar se viu, de fato, alguma coisa no decorrer das investigações”, declarou o oficial da PM.


Carlos Luna prometeu que, em 30 dias, o sistema penitenciário alagoano terá implementado um novo modelo de gestão.


Na noite de ontem, o Estado foi duramente criticado pelo promotor Cyro Blatter, da Promotoria da Vara de Execuções Penais. Blatter afirmou que os homicídios foram `grotescos’ e disse que o sistema estava sem controle, como um `navio desgovernado’.


Os homicídios


José Lovêncio dos Santos Neto, de 31 anos e José Domingos da Silva, de 41 anos, foram encontrados mortos na enfermaria do Baldomero Cavalcanti na manhã deste domingo (30). Os corpos apresentavam perfurações de arma branca e sinais de enforcamento.


Segundo a Intendência do Sistema Penitenciário, um dos presos foi encontrado pendurado em uma corda e o outro caído no chão, completamente ensanguentado. Uma sindicância foi aberta para apurar os crimes e deverá ser concluída em até 30 dias.


Nas fichas prisionais dos detentos mortos constavam os crimes que os levaram para a cadeia e a data de entrada no presídio. José Domingos foi preso no dia 13 de outubro do ano passado e respondia pelo crime de homicídio doloso. Já José Lovêncio dos Santos havia sido preso em 13 de julho de 2010, mas só entrara no Baldomero Cavalcanti há 10 dias. Ele fora preso por porte ilegal de arma de fogo e roubo.


Gazetaweb – com Janaina Ribeiro

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS