Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Em 10 anos, União triplicou repasses federais a Alagoas

Por Imprensa (quinta-feira, 19/01/2012)
Atualizado em 19 de janeiro de 2012

Estado mais pobre do Brasil poderia ter revertido, para melhor, os índices sociais negativos

Alagoas nunca recebeu tanto dinheiro – e os políticos locais nunca roubaram tanto – como nos últimos 10 anos. Dados da Secretaria do Tesouro Nacional mostram que, neste período, o Estado mais pobre do Brasil poderia ter revertido, para melhor, os índices sociais negativos, se aplicasse a verba pública destinada a quem de direito – ao povo.

Em 2001, analisando apenas os repasses de impostos e de dois fundos – pilares da economia local – o de Participação do Estados (FPE) e o de Manutenção e Desenvolvimento da Educação (Fundeb) – Alagoas recebia- ainda no governo Fernando Henrique Cardoso, quase R$ 690 milhões (exatos R$ 689.785.773,69). Dez anos depois – na era Dilma Rousseff – os repasses triplicaram: R$ 2,5 bilhões (exatos R$ 2.559.627.425,74).

É uma fortuna. É mais, por exemplo, que a receita dos usineiros de Alagoas, na moagem da cana de açúcar – que oscila na casa dos R$ 2 bilhões.

Com a diferença de que os mais de R$ 2,5 bilhões deveriam estar aplicados – por exemplo – em professores, no resgate da legião de analfabetos no Estado – pouco mais de 25% da população – pelos números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Extra Alagoas

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS