Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Governo ajusta sistema que opera folha de pagamento e gestão de recursos humanos

Por Imprensa (quarta-feira, 12/01/2011)
Atualizado em 12 de janeiro de 2011

Gestor diz que problemas registrados durante a transição para o novo modelo de gestão da folha superados


Mariana Lima


Integra operacionaliza todas as informações da folha de pagamento do servidor


O Sistema Integrado de Gestão Pública – Integra – fará de Alagoas o primeiro estado da região Norte/Nordeste a ter uma folha de pagamento operacionalizada por processos eletrônicos. Com isso, a Secretaria da Gestão Pública (Segesp) pretende deixar de apenas gerar a folha de pagamento do Estado para efetivamente passar a gerir recursos humanos.


Após cursos e treinamentos dos servidores, que se estenderam durante todo o ano de 2010, o Integra começou a processar os dados para gerar folha de pagamento do Estado em novembro, quando a utilização do antigo sistema foi encerrada. A época coincidiu com o pagamento do 13º dos servidores, o que acabou tumultuando um pouco o processo de transição.


“O Integra é mais completo e demanda muito mais informações do que o antigo sistema possuía, por isso, houve inconsistências em alguns dados, o que ocasionou problemas de atraso em alguns pagamentos”, explica o superintendente de Modernização da Gestão Pública Artur Ferreira.


Ele exemplifica o caso de servidores com promoções recentes, que não foram registradas no 13º salário. Como o sistema antigo não possuía um histórico de nomeações, os dados não foram repassados ao Integra e o pagamento teve que ser efetuado através de folha suplementar.


Segundo Ferreira, um dos principais problemas foi a ausência de informações consistentes sobre os dependentes dos servidores para fins de imposto de renda, pensões judiciais e previdenciárias. “Não tínhamos controle da idade dos dependentes, por exemplo. Funcionava no antigo sistema simplesmente porque ele não exigia essas informações e não fazia nenhuma validação sobre esses dados”.


A falta de dados precisos sobre aposentadorias também foi sentida durante a migração. Em alguns casos, faltava até a data da aposentadoria do servidor. Inexistia ainda informações sobre pensionistas ou sobre paridade salarial entre servidores ativos e inativos. Com a checagem desses dados junto ao Integra, o AL Previdência vai poder controlar melhor seus fundos e pagamentos.


Como ocorre normalmente em um processo de mudança de sistema, as inconsistências ocorridas permitiram que as disparidades fossem identificadas e sanadas. “Mais de 95% das inconsistências relativas aos dados migrados já foram sanadas. Pudemos identificar falhas no banco de dados e corrigi-las. É tanto que o pagamento da segunda faixa salarial ocorreu sem sobressaltos”, destaca Artur Ferreira.


O Integra não serve apenas para gerir folha de pagamento. No fim de 2010, já estava em funcionamento duas frentes no sistema: o módulo de Processo Administrativo Eletrônico, conhecido como CPA ou processo virtual, e o módulo de Gestão de Recursos Humanos (GRH). O CPA é um passo importante na informatização das rotinas administrativas, que vai agilizar o serviço público e livrar as secretarias da “ditadura do papel”, cumprindo, inclusive, uma função de responsabilidade ambiental.



Agência Alagoas

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Últimas Notícias

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS