Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Inflação em setembro é a maior para o mês desde 2003, segundo IBGE

Por Imprensa (sexta-feira, 5/10/2012)
Atualizado em 5 de outubro de 2012

Puxada pelos preços de alimentos, a inflação acelerou no Brasil no mês passado. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,57% em setembro, depois de ter registrado alta de 0,41% em agosto. É a maior alta para o mês de setembro desde 2003 (quando teve elevação de 0,73%). No acumulado em 12 meses até setembro, o índice subiu 5,28%, ante 5,24% em agosto.

Os alimentos têm sido os maiores vilões da alta dos preços, após uma seca nos Estados Unidos ter levado a quebra da safra de milho naquele país. O clima desfavorável no Brasil também afetou algumas colheitas, especialmente o tomate.

Além do tomate (53,73%), outros alimentos têm tido fortes altas no acumulado do ano, entre eles: cenoura (54,62%), batata inglesa (49,25%), cebola (49,15%), alho (45,27%) e feijão preto (41,02%).

Outros setores Os gastos com habitação também pressionaram a inflação oficial em setembro, com altas no preços de energia elétrica, aluguel, condomínio, taxa de água, esgoto e gás. O grupo despesas pessoais apresentou alta de 0,73% em setembro, enquanto que o de vestuários, de 0,89%.

Segundo o IBGE, o único grupo que mostrou queda nos preços em setembro foi o de transportes, de 0,08%, frente a agosto.

Taxa de juros A inflação cada vez mais longe do centro da meta do governo, de 4,5% pelo IPCA, colabora para a perspectiva de que o Banco Central irá manter a Selic na atual mínima histórica de 7,50% na reunião da próxima semana, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne novamente.

Entretanto, dados da produção industrial abaixo do esperado nesta semana chegaram a elevar as apostas no mercado futuro de juros em mais um corte de 0,25 ponto percentual, algo que vem se acentuando nos últimos dias.

Após promover o nono corte seguido na Selic em agosto, o Copom deixou claro que, se houver espaço para um novo corte, ele será feito com “máxima parcimônia”.

Em seu Relatório Trimestral de Inflação, o Banco Central estimou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficará em 5,2% neste ano pelo cenário de referência.

Boletim Focus Nesta semana, o mercado elevou a projeção para a inflação em 2012 para 5,36%. Com isso, a perspectiva do mercado afasta-se ainda mais do centro da meta do governo, de 4,5% pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Para 2013, a expectativa dos analistas consultados foi reduzida de 5,5% para 5,48%.

Do UOL, em São Paulo

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2020 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS