Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Movimentos sindicais organizam ato em dia 1º de maio

Por Imprensa (segunda-feira, 30/04/2012)
Atualizado em 30 de abril de 2012

CUT promove mobilização para cobrar, dentre outras coisas, o piso nacional da educação, dos agentes de saúde e dos policiais

 Parece que o servidor público em Alagoas não tem muito o que comemorar. Pelo menos, é o que argumentam os movimentos sindicais que trabalham em defesa das mais diversas categorias que representam os servidores do Estado. Nesta terça-feira (01), data dedicada no Brasil ao trabalhador, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) realiza várias atividades nas ruas e, dentre elas, ato público em defesa da valorização do servidor público.

 A mobilização está sendo organizada pela CUT e deverá reunir os diretores dos sindicatos filiados à Central, a exemplo do Sinteal, Sindpol e Sindprev. A concentração será no Posto 7, no bairro da Jatiúca, a partir das 9 horas. Haverá a apresentações musicais no início do ato e, em seguida, um ato público. Na manifestação, o Sindpol denunciará o alto índice de homicídio no Estado e cobrará as reivindicações dos policiais civis, que estão sendo ignoradas pelo governo. O presidente do Sindpol, Josimar Melo, convoca todos os policiais civis a comparecerem ao protesto.

 “Nossa previsão é que compareçam cerca 5 mil pessoas de todos os sindicatos ligados à Central Única dos Trabalhadores (CUT). Vamos tentar mobilizar as pessoas que estiverem passando pela orla e mostrá-las que o Estado ainda precisa fazer muito pelos seus servidores. Uma política de valorização profissional, salários decentes e mais justos e melhores condições de trabalho serão algumas das cobranças que faremos”, disse Isaac Jackson, presidente da CUT em Alagoas.

 “Estaremos defendendo a luta pelo piso nacional da educação, dos agentes de saúde e dos policiais; combatendo o corte no orçamento social e as privatizações e defendendo as estatais e a luta pela reforma agrária. Além disso, a CUT continuará condenando a tentativa de boicotar a liberdade e a autonomia sindicais, pedindo o fim do imposto sindical e do Fator Previdenciário e ratificando a importância das conquistas previstas na Convenção 87 da OIT que, dentre outras coisas, estabeleceu trabalho de 40 horas semanais sem redução de salários”, complementou Isaac Jackson.

 

As atrações para o público

 Estão programadas várias atrações musicais, dentre elas: Trio e Banda ZM, MacQuinteto, Fernanda Guimarães e Maracatu.

1º de Maio:

Por liberdade e autonomia sindical data histórica para se comemorar e lutar em defesa dos nossos direitos!

 O 1º de maio representa a história das lutas e conquistas dos trabalhadores em todo o mundo. Foram através das lutas que conquistamos o direito a aposentadoria e proteção social, a jornada de 8 horas, os serviços públicos, os direitos trabalhistas, etc. Mas, em função da crise internacional, muitos governos estão atacando estas conquistas históricas, o que exige dos trabalhadores organização e luta para manter nossos direitos.

 No Brasil, a CUT apóia a luta pelo piso nacional da educação, dos agentes de saúde e das polícias; é contra o corte no orçamento social e as privatizações; defende as estatais e a reforma agrária. A CUT defende a liberdade, a autonomia e o fim do imposto sindical, o fim do Fator Previdenciário, a ratificação da Convenção 87 da OIT e 40 horas semanais sem redução de salários!

 E em Alagoas, a CUT se junta ao grito da população contra a violência que assola nosso Estado (já são mais de 11 mil homicídios em 5 anos) e aos servidores públicos que lutam por melhores salários e condições de trabalho.

 A CUT assume seu papel, como maior Central sindical da América Latina, de lutar em defesa da soberania nacional, contra o domínio do capital estrangeiro e o latifúndio e de defesa radical dos mdireitos e conquistas sociais.

Com informações da Gazetaweb, CUT e Sindpol

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2020 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS