Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

MP ‘recomenda’ demissão de prestadores de serviço do sistema prisional

Por Imprensa (segunda-feira, 9/07/2012)
Atualizado em 9 de julho de 2012

O Ministério Público Estadual quer a demissão dos quase 900 prestadores de serviço  que trabalham atualmente no sistema penitenciário de Alagoas. A promotoria deu o prazo de quatro meses para que a Superintendência Geral do Sistema Penitenciário (Sgap) demita os terceirizados e realize concurso público para todas as funções.

A recomendação está publicada no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira, dia 9, e é assinada pelo promotor Coaracy Fonseca, da Promotoria Coletiva da Fazenda Estadual. De acordo com o promotor, 891 pessoas estão contratadas irregularmente na Sgap, parte delas como agentes penitenciários.

O impasse com relação à permanência de prestadores de serviço no sistema prisional é antigo. O último, e único, concurso público realizado para o cargo de agente penitenciário – ocorrido em 2006 – abriu 1.200 vagas para o cargo, mas as vagas não foram totalmente preenchidas. O órgão registrou ainda um grande número de exonerações, a pedido, desde o certame.

A contratação de terceirizados completaria o quadro necessário para funcionamento dos presídios. Além da função de agentes penitenciários, os prestadores de serviço desenvolvem também função administrativa e de saúde.

Ainda segundo Fonseca, a permanência de terceirizados é considerada improbidade administrativa, uma vez que o ingresso na administração pública deve ser realizado mediante concurso público.

O documento dá prazo de quatro meses para que o superintendente Carlos Luna e o secretário de Defesa Social, Dário César Cavalcante, tomem as providências necessárias para regularização da situação, ou seja, a demissão dos 891 prestadores de serviço e admissão de novos profissionais mediante realização de concurso público.

Flávia Duarte – Alagoas24Horas

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2020 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS