Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Obras da Deic duram mais de oito meses e tornam ambiente de trabalho insalubre

Por Imprensa (quinta-feira, 13/02/2014)
Atualizado em 13 de fevereiro de 2014

Trabalhadores da construção estão com salário atrasado

Os policiais civis estão trabalhando de forma precária no prédio da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), localizado no Conjunto Santa Amélia, o qual passa por reformas há mais de oito meses.

Na mobilização da Operação Padrão, em frente à Deic, o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) pôde observar a reforma de uma obra que não possui um planejamento nem prazo para terminar. A poeira, o barulho, o lixo, que se amontoa junto a metralha, tornam o ambiente de trabalho insalubre aos policiais civis.

De acordo com as informações, o atraso na conclusão da obra se deve as modificações propostas a cada nova direção da Deic. A instalação da canalização de água também não foi concluída. O abastecimento é feito por carro pipa. Um policial informou que a Deic chega a ficar sem água.

Desde a explosão da Deic, que vitimou fatalmente a policial civil e sindicalista Amélia Dantas, em dezembro de 2012, que a categoria trabalha em precária condição. A Deic é um divisão especializada que comporta a parte da inteligência da Polícia Civil, mas que não vem sendo dado a devida atenção.

Os trabalhadores da construção, que prestam serviço ao Núcleo de Serviços Gerais da Delegacia Geral da Polícia Civil, denunciam que somente receberam salário no final do mês de dezembro.

O presidente do Sindpol, Josimar Melo, cobra das autoridades a solução dos problemas. A categoria continua realizando atividades durante a Operação Padrão. Na manhã da quarta-feira (12), dezenas de policiais realizaram panfletagem em frente à Deic e ainda conversaram com a população na parada dos transportes públicos.

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS