Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Piso salarial da PM é definido pelo governo

Por Imprensa (terça-feira, 6/03/2012)
Atualizado em 6 de março de 2012

Na tarde da segunda-feira (05) o presidente da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (ASSOMAL), major PM Wellington Fragoso, o vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados em Alagoas (ACS/AL), cabo BM Rogers Tenório e demais representantes de associações militares tiveram uma reunião com a secretária adjunta da Secretaria de Estado da Gestão Pública, Ricarda Calheiros e a assessora especial de relações sindicais, Rafaela Soares para tratar de assuntos concernentes ao reajuste salarial da categoria.

Durante a reunião, as lideranças militares expuseram todas as dúvidas da tropa e trabalharam juntamente com a secretária como será feito o realinhamento salarial dos cabos, sargentos, subtenentes e oficiais do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

Diante de alguns esclarecimentos feitos, o acordo para os soldados ficou da seguinte forma: O aluno irá receber R$ 964,42, os 7% residuais, sendo que 2% será em abril de 2012, 2% em novembro de 2012 e 3% em abril de 2013, mais os 6,5% de reposição da inflação (IPCA). Já os soldados com até 20 anos de carreira, receberão 2.156,00 mais 2% de resíduo em novembro deste ano e 3% em abril de 2013 e o IPCA só entrará no ano que vem. Entretanto, segundo Rafaela Soares será estudada a possibilidade destes soldados receberem os 2% residuais em abril deste ano, como solicitado pela categoria.

Com relação aos soldados que possuem mais de 20 anos de carreira, estes receberão o piso de 2.156,00 mais os 6,5% de reposição da inflação, como também os 7% de resíduo dividido em três vezes.

O vice-presidente da ACS/AL, cabo BM Rogers Tenório disse que durante esta reunião ninguém chegou a uma conclusão, mas foi importante para todos tirarem as dúvidas acerca do que foi acordado no último encontro. “Não estive na última reunião, entretanto pude observar que tudo está sendo encaminhado. Espero que as reuniões evoluam em prol de melhorias para a categoria. Propostas foram colocadas e serão debatidas entre os líderes militares e o Governo para que sejam aplicadas da melhor maneira”, colocou Tenório.

Ele ainda contou que uma proposta foi lançada pela ACS/AL, onde é tratada a questão do concurso para o CFO. “Foi solicitado por nós que seja revisto ou que pelo menos um percentual dessas vagas sejam destinadas aos Praças”.

Segundo Ricarda Calheiros, será analisado como ficará melhor para executar a tabela de progressão dos militares, projetando de cima para baixo ou de baixo para cima. “A tabela sendo feita de cima para baixo talvez seja a melhor forma de equiparar os salários de todos os militares. Na próxima reunião, após a conversa com Mauricio Toledo, secretário de Estado da Fazenda, iremos apresentar o impacto a vocês”, pontuou Calheiros.

Para o major PM Wellington Fragoso, presidente da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (ASSOMAL), as reuniões estão evoluindo, mas é necessário ressaltar que este realinhamento do piso salarial deve ser feito de forma minuciosa para que não ocorram falhas que possam prejudicar os militares de algum dos postos. “Queremos a aplicabilidade de todos os direitos adquiridos durante nossas mobilizações e para isso iremos cobrar ao Governo que tudo seja cumprido”, finalizou Fragoso.

Fonte: Assessoria

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS