Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Policiais civis suspendem greve e mantêm mobilização

Por Imprensa (quinta-feira, 18/06/2015)
Atualizado em 18 de junho de 2015

10411862_653648718068120_2924326400316376081_n 10988509_653648781401447_6185493306186693079_n 11095662_653648678068124_7556357079185561998_n 11156394_653648818068110_3454623093794684224_n 11202568_653648714734787_8738934014525751954_n 11207323_653648784734780_6089875016917602267_n 11406795_653648814734777_1681807396808631331_n 11535825_653648821401443_1493222892334266786_n

Os policias civis suspenderam a greve, que já durava 28 dias, e aceitaram a proposta do Governo do Estado referente ao Plano de Cargos, Carreiras e Subsídios (PCCS). A categoria também decidiu manter a mobilização pelo Índice Nacional dos Preços ao Consumidor (IPCA) em conjunto com o Movimento Unificado dos Servidores Públicos e pelos itens da pauta de reivindicações.

A decisão ocorreu na tarde desta quinta-feira (18) durante a realização da assembleia geral em que os policiais civis avaliaram a proposta do governo como avanço e conquista em relação aos direitos dos aposentados e pensionistas.

Pela proposta, o governo se compromete a dar celeridade à aprovação de um projeto de lei que fará o reposicionamento dos aposentados e pensionistas no PCCS; conforme acordo, o anteprojeto de lei será encaminhado à Assembleia Legislativa ainda este mês. O governo aumenta a cota da progressão funcional de 40 para 60 processos, nos meses de julho e agosto, e de 80 processos para setembro e nos meses subsequentes. Para os inativos, a proposta é de 20 processos mensais. Quanto todos os aposentados forem enquadrados ao PCCCS, a cota dos inativos irá se somar com a dos ativos. Em relação ao pagamento retroativo das progressões, outra reivindicação da categoria, foi proposta a negociação a partir do mês de novembro deste ano.

Na assembleia geral, o diretor de Planejamento do Sindpol, Stélio Pimentel Jr, revelou que era uma questão de honra o enquadramento dos aposentados no Plano. “O aposentado é uma das prioridades da nossa luta sim”. O policial civil aposentado Robenilson de Oliveira, o Teco, destacou que o sindicato não o decepcionou ao lutar pelos direitos dos aposentados.

O diretor de Comunicação do Sindpol, Bartolomeu Rodrigues, disse que analisando a proposta do governo, “o aumento do número da cota é um avanço da luta, enquanto o projeto de lei dos aposentados e pensionista é uma grande conquista”, considerando uma conjuntura nacional e internacional de retirada de direitos previdenciários. “Vamos dar uma pausa nessa greve em consideração aos nossos aposentados”, destacou.

Para o presidente do Sindpol, Josimar Melo, a proposta do governo não é o que a categoria queria, mas foi o que conquistamos com a luta. “Continuaremos mobilizados, a suspensão da greve é uma estratégia da luta. Em agosto, convocaremos a categoria para a luta pela pauta específica. Em outubro, temos acordo com o governo para retomar a negociação pelo piso de 60% da remuneração dos delegados, pelo pagamento do risco de vida, pelo tratamento isonômico do PCCCS, entre outros itens da pauta de reivindicações”, esclareceu.

O presidente destacou que os policiais civis continuarão mobilizados pelo cumprimento do acordo e pelo IPCA junto ao Movimento Unificado dos Servidores Públicos, que realizarão grande ato público no dia 25 de junho.

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS