Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Policiais dão novo prazo, decisão sobre greve é adiada

Por Imprensa (quinta-feira, 16/02/2012)
Atualizado em 16 de fevereiro de 2012

Os policiais civis de Alagoas deram um novo prazo ao Governo do Estado quanto à decisão sobre a greve na assembleia geral, realizada na tarde desta quinta-feira (16/02). A categoria ressalta que adia a decisão sobre a greve em respeito à sociedade alagoana, que está à véspera do Carnaval.

Os policiais civis estão reivindicando o cumprimento dos itens do acordo com o governo do Estado desde o ano passado. Entre as reivindicações, o Plano de Cargos, Carreira e Subsídios; o piso salarial de 60% da remuneração do delegado de polícia; a aposentadoria especial com integralidade e paridade; a revogação das portarias que punem grevistas e a melhoria nas condições de trabalho.

Uma nova assembleia geral com indicativo de greve foi marcada para o dia 9 de março. O presidente do Sindpol, Josimar Melo, destacou o andamento das negociações junto ao Governo do Estado. Ele informou sobre o que foi discutida na reunião com a assessora da Secretaria de Gestão Pública Adriana Toledo, na manhã desta quinta-feira (16). De acordo com ele, ficou agendado um encontro com o secretário Alexandre Lajes para o dia 23 de fevereiro; na ocasião, o sindicato terá o posicionamento do governo sobre o piso salarial da categoria e a revogação das punições referente à última greve, conforme acordo com o governo no ano passado.

Josimar Melo informou que o Delegado Geral, José Edson, disse ao sindicato que o documento, assinado pelo secretário Alexandre Lajes, tratando do fim das punições aos grevistas, não tinha nenhum valor legal. Com a reunião agendada, o secretário deverá solicitar ao Delegado Geral que cumpra a decisão do Governo.

O sindicalista também disse que a Segesp entregará a proposta do governo sobre o Plano de Cargos, Carreira e Subsídios (PCCS) no dia 7 de março.

Outro ponto que está preocupando os policiais civis e o sindicato é a aposentadoria especial da categoria. Um parecer da Procuradoria Geral do Estado desconhece a garantia da integralidade salarial da Lei Complementar 28/2010 da aposentadoria especial da categoria. Os policiais civis, que estão requerendo o pedido da aposentadoria, estão passando pela coação de ter que assinar um documento, dizendo que eles não têm direito à integralidade e à paridade salarial. O delegado sindical do Sindpol Carlos Jorge e o advogado do sindicato se reuniram com o procurador-geral do Estado, Arnaldo Paiva, na tarde desta quinta-feira (16), para resolver o problema.

A categoria também deliberou realizar ato público, no dia 27 de fevereiro, em frente à Segesp para cobrar a revogação das portarias que punem grevistas, o piso salarial e a aposentadoria especial.

O 2º vice-presidente do Sindpol, Carlos José, comunicou que na reunião das entidades das policiais civis, em Brasília, ficou deliberada a realização de assembleias gerais, no dia 16 de março, em todos os estados com indicativo de greve para a segunda quinzena de abril pela aprovação da proposta de emenda constitucional do Piso Nacional (PECs 300/2008 e 446/2009) das polícias.

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS