Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Presidente do Sindpol debate segurança pública em seminário

Por Imprensa (sexta-feira, 2/08/2013)
Atualizado em 2 de agosto de 2013

O presidente do Sindpol, Josimar Melo, proferiu palestra no Seminário Pensando Maceió, sobre Segurança Pública em Maceió, organizado pelo Partido dos Trabalhadores, no Sindicato dos Bancários.

No seminário, que aconteceu na quinta-feira (01), o sindicalista destacou que o Sindpol já sabia que o Programa Brasil Mais Seguro iria fracassar em Alagoas. “Em nenhum momento, ao lançar o Programa, a secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, havia se reunido com os policiais civis e militares, os quais vivenciam o problema. Entregamos um relatório da situação precária das delegacias de Alagoas à secretária, que isso é uma realidade em todo o país”, disse o sindicalista, acrescentando que havia esclarecido à chefa da Senasp que os policiais da Força Nacional  estavam motivados  com as diárias pagas pelo governo federal (mais de R$ 9 mil), além das condições dignas de trabalhos (armamentos, equipamentos e treinados), enquanto os policiais alagoanos continuavam desmotivados, recebendo salários baixos e sem condições  de trabalho (delegacias fechadas, salários defasados, sem alimentação nos plantões, entre outras). “O único grupo, que estava motivado, era a Divisão de Investigações e Capturas (Deic), que foi explodida, no passado, e ainda tivemos a perda da companheira sindicalista Amélia Dantas”.

Josimar Melo alertou que o Governo do Estado não tem como esconder os números de homicídio, mas tem como ocultar os números de assaltos, furtos e outros crimes. Ele citou, como exemplo, o caso do 3º Distrito Policial, que era uma das delegacias com grande índice de ocorrência de Maceió, mas teve o prédio fechado no bairro da Ponta Grossa. O 3º DP funciona precariamente em uma sala na antiga Central de Polícia, na bairro do Sobral, longe da comunidade, que acaba desistindo de registrar a criminalidade.

O sindicalista também criticou a quantidade de instituições que punem os policias civis. Citou o Ministério Público, o Gecoc, a Corregedoria de Polícia, a Delegacia Geral, o Conselho Estadual de Segurança Pública, o Conselho da Polícia e a Secretaria de Defesa Social. “Isso engessa as polícias”, revelou.

Disse também que o Estado não investe nas áreas essenciais como segurança pública, Saúde  e Educação porque renovou o acordo com os usineiros, isentando o setor sucroalcooleiro de pagamento de ICMS. “Na década de 80, as usinas representavam 65% de repasse de ICMS ao Estado, e hoje não ultrapassa 2%. Aliado a isso, temos um milhão de jovens sem perspectivas, que resulta no alto índice de violência”.

Josimar Melo destacou a necessidade de a esquerda se aperfeiçoar no tema segurança pública. Ressaltou que o modelo vigente ainda é o da ditadura militar e defendeu a desmilitarização da Polícia Militar.

Além de Josimar Melo, também participaram como palestrantes do seminário o ex-presidente do Sinpofal, Jorge Venerando, e a ex-dirigente do Sindapen, Rídina Mota.

A próxima palestra será na terça-feira (06), às 18h30, no Sindicato dos Bancários, e tratará de “Perspectivas da Educação em Maceió” com o vereador e professor universitário Guilherme Soares e a dirigente da CUT e do Sinteal Girlene Lázaro.

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS