Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Presos se rebelam na delegacia superlotada de União dos Palmares, justiça indefere pedido de interdição do Sindpol

Por Imprensa (sexta-feira, 3/05/2013)
Atualizado em 3 de maio de 2013

Os policiais civis viveram momento de terror com a rebelião dos trinta e um presos da Delegacia Regional de União dos Palmares  que se rebelaram, na tarde da última terça feira (30), e tentaram quebrar as grades das celas e puseram fogo em colchões, roupas e utensílios que usavam, em protesto contra as condições insalubres no local. Com ajuda da Polícia Militar, a situação foi provisoriamente controlada, mas poderá retomar a qualquer momento.

O motim causou medo à população e aos policiais que temem uma fuga em massa ou um desfecho dramático devido à situação precária e insalubre da delegacia que ainda possui efetivo reduzido para a quantidade de detentos. Em média, apenas dois policiais civis são responsáveis pelo plantão diário em um local, que apresenta infiltrações e mofos em todas as paredes, provocando doenças respiratórias. O alojamento é precária, e os banheiros estão com a descarga e a pia quebradas. As instalações elétricas inadequadas com fiações expostas, o que representam risco de incêndio. A alimentação é armazenada no chão da sala do chefe de operações que ainda divide o espaço com materiais apreendidos.

Os cartórios funcionam em pequenas salas cheias de inquéritos e estão com os condicionadores de ar quebrados. O pátio da delegacia está cheio de motos e carros velhos o que beneficia a proliferação de doenças como dengue e leptospirose. A Vigilância Sanitária já fez uma inspeção no local e condenou a permanência de pessoas na delegacia.

Os presos estão em situação subumana. O ambiente é escuro e cheio de lixos. É constante a falta de água, além disso, a alimentação é precária. O Sindpol também encontrou muitos presos doentes e sem atendimento médico.

O dirigente do Sindpol Jânio Barbosa destacou o desvio de função que a categoria deveria estar investigando e apurando a violência na região, é obrigada a ser responsável pela custódia de preso.

O vice-presidente do Sindpol, Edeilto Gomes, já esteve com o Juiz da 3ª Vara Criminal de União dos Palmares Antonio Rafael Wanderley Casado da Silva e comunicou o fato, solicitando por meio de documento, a interdição do local.  No entanto, o juiz encaminhou o ofício 459/2013, reconhecendo o ambiente insalubre do local, a ausência de condições de trabalho, informou que deu vista ao Ministério Público e a Defensoria Pública do Estado para que sejam adotadas as medidas cabíveis.

Sobre o pedido de interdição da carceragem da Delegacia, disse que não era sua competência proceder o intento e que solicitou ao juiz das Varas de Execuções Penais da Capital a transferência de diversos presos.

O magistrado revelou que a incumbência é do Poder Executivo, e não do Judiciário sob pena de usurpação de competência. O juiz indeferiu o pedido de interdição administrativa da Delegacia Regional de União dos Palmares, repassando para o Ministério Público e a Defensoria Pública do Estado interpor a ação competente para tanto.

Com informações do Sindpol/AL e da Tribuna da União

 

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS