Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Realinhamento da tabela: governo deverá apresentar contraproposta em maio

Por Imprensa (quarta-feira, 25/04/2012)
Atualizado em 25 de abril de 2012

Militares aguardam novidades para equiparação salarial

Em mais uma reunião ocorrida, na manhã da terça-feira (24), na Secretaria de Estado de Gestão Pública (SEGESP) entre os líderes militares da ACS/AL, ASSOMAL, ASSMAL, ASORPOBOM, ASPRA, Caixa Beneficente e o secretário Alexandre Lages, desta feita representado pela assessora de relações sindicais, Rafaela Soares, foram discutidas algumas questões concernentes ao reajuste salarial da categoria, como também o realinhamento da tabela de progressão.

Entretanto, nada foi decidido por parte do Governo que afirmou não ter condições de atender, no momento, a proposta dada pelos militares, pois segundo eles, o impacto financeiro será de 13 milhões na folha. Além disso, os 6,5% do IPCA mais o ganho real que será por volta de 1%, não poderá ser pago na folha do mês de abril, como também o aumento para o soldado que ficou no valor de R$ 2.156, pois eles têm que ser aprovados na Assembleia Legislativa (ALE).

A categoria está à espera de uma resposta definitiva acerca dos seus vencimentos. Necessitamos de uma definição por parte do Governo, pois a tropa anda muito apreensiva em se tratando do reajuste salarial. Ninguém aguenta mais essa falta de compromisso com os militares, disse em tom de desabafo, o presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS/AL), cabo PM José Soares.

Segundo Rafaela Soares, por conta dos 6,5% mais o ganho real ainda estar sendo definido para todos os servidores públicos, ele não será pago neste mês, ficando provavelmente para maio, saindo como retroativo ao mês de abril. Ela explicou ainda que o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Izac Jackson e o secretário de Gestão Pública, Alexandre Lages ainda estão em negociações do valor do ganho real a ser aplicado. “As negociações ainda estão em andamento. Será encaminhado ALE um projeto único contendo o IPCA mais ganho real dos servidores estaduais. O valor poderá sair em folha suplementar retroativo ao mês de abril”, disse Rafaela.

O presidente da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas, major PM Wellington Fragoso, enfatizou que a reunião de hoje ficou prejudicada, pois o secretário Alexandre Lages não atendeu os líderes das entidades militares, devido ao fato de estar em reunião com o Izac Jackson (CUT), mesmo sabendo que tinha compromisso com a categoria. “Esperávamos contar com o secretário para procurar alternativas a fim de solucionar questões relacionadas ao realinhamento da tabela de progressão, o pagamento do resíduo e o IPCA, mas ele não apareceu, enviando uma representante. Precisamos passar algo concreto à tropa”, disse.

Na folha de pagamento do mês de abril, os militares receberão apenas os 2% do resíduo, percentual que se refere aos 7%, que foi dividido em três vezes. O Governo deverá apresentar uma contraproposta na próxima reunião que ficou marcada para o dia 15 de maio, às 10h.

“As associações estão abertas a negociações. O que queremos ouvir é que irão trabalhar e fazer o levantamento do impacto apresentando uma proposta concreta. A nossa proposta inicial é do piso de coronel ser de R$ 18 mil até 2014 com escalonamento para demais categoria”, finalizou o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Militares de Alagoas (ASSMAL), sargento Teobaldo de Almeida.

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS