Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Relatório mostra que as condições de trabalho nas delegacias pioraram

Por Imprensa (quinta-feira, 2/01/2014)
Atualizado em 2 de janeiro de 2014

O Sindpol apresentou, na manhã desta quinta-feira (02), o relatório (http://www.sindpol-al.com.br/wp-content/uploads/2014/01/relatoriodelagaciasdointerior.pdf) que faz uma mostra das precárias estruturas das delegacias de Maceió e das regiões do Agreste, do Sertão, do Sul e do Norte de Alagoas.

O presidente do Sindpol, Josimar Melo, informou que o sindicato detectou a falta de estrutura física e insalubridade nas delegacias, bem como a superlotação de presos, a carência de efetivo policial e de armamentos. Destacou que a alimentação é insuficiente para os policiais e os detentos. Os alojamentos estão precários e insalubres. A qualidade da água também é inapropriada e impura.

No relatório, quinze delegacias, a maioria do interior, estão com a carceragem superlotadas. Em matriz do Camaragibe com 49 presos, Santana do Ipanema com 72 presos e Palmeira dos Índios com 56 presos.

O vice-presidente do Sindpol, Edeilto Gomes, destacou que os policiais são desviados de sua função, que é investigar, para ser responsável pela custódia de preso. “As condições expostas comprometem o trabalho e desmotivam o policial civil”, revelou, lembrando que o Governo do Estado havia se comprometido a retirar os presos das delegacias em julho do ano passado. “Mesmo com a inauguração do presídio em Girau do Ponciano, os presos continuam nas delegacias”, denunciou.

Josimar Melo também informou que as condições das delegacias pioraram nos últimos anos. Ele comunicou que o sindicato irá se reunir para definir ações de mobilização, a exemplo do que foi realizada pela Polícia Militar. “Foi correto o governador atender os pleitos dos militares. E estamos cobrando as melhorias das condições de trabalho, e vamos realizar operação policial dentro do que determina a legislação”, adiantou.

O sindicalista também informou que o anteprojeto de lei do Plano de Cargos, Careiras e Subsídios (PCCS), que já deveria ter sido aprovado, está parado. “O PCCS valoriza e motiva o policial civil por seu trabalho e por sua qualificação na Polícia Civil. Estamos negociando o Plano desde 2011. O anteprojeto de lei já está pronto, mas o Governo do Estado não prosseguimento aos trâmites do Plano”, disse.

Josimar Melo disse que irá encaminhar o relatório à Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), ao Conselho Estadual de Segurança Pública (Conseg), à Ordem dos Advogados do Brasil – AL, ao Ministério Público, à Justiça, ao Delegado Geral da Polícia Civil, entre outros órgão para as providências cabíveis.

I – PRESOS EM DELEGACIAS

 Atalaia: 21 presos

Campo Alegre: 6 presos

Colônia Leopoldina: 14 presos

Central de Flagrantes: presos temporários – 10 presos

Delegacia de Menores: 3

Delmiro Gouveia: 40 presos

Joaquim Gomes: 10 presos

Matriz de Camaragibe: 49 presos

Ouro Branco: em 2012 – 16 presos – sem comunicação

Palmeira dos Índios:  56 presos

Penedo: 16 presos

Santana do Ipanema: 72 presos

Teotônio Vilela: 6 presos

União dos Palmares: 9 presos

Viçosa: 24 presos

 II – DELEGACIAS QUE OS PRESOS FORAM RETIRADOS

 Anadia

Girau do Ponciano

Murici

Novo Lino

Penedo

Santana do Mundaú

União dos Palmares

 III – DELEGACIAS QUE OS PRESOS RETORNARAM

União dos Palmares: 9 presos

Penedo: 16 presos

 IV – DELEGACIAS COM A CARCERAGEM INTERDITADA

Cajueiro

Igaci

Mata Grande

Minador do Negrão

*Penedo

São Luiz do Quintude 

* Foi interditada desde 2007, mas continua funcionando normalmente.

 

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS