Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Sem fiscalização da PF, “venda de votos” corre solta em Maceió

Por Imprensa (quarta-feira, 26/09/2012)
Atualizado em 26 de setembro de 2012

“Tem candidato que paga R$ 30,00, outros prometem R$ 50,00, mas tem um que chegou dizendo que paga R$ 80,00, aí tem um bocado de gente pegando, é só colocar o nome na lista lá e tudo certo”

Esta declaração acima foi dada a reportagem do Cadaminuto por uma merendeira, que mora no bairro da Santa Lúcia, ela repete uma informação que acontece em praticamente todos os bairros da periferia de Maceió em negociações que assustam, por serem feitas a luz do dia.

A greve da Policia Federal e a confusão sobre de quem é a competência de investigação das denúncias eleitorais vem fazendo com que a compra de votos se intensifique de forma que o resultado das eleições para vereador em Maceió pode ter seu resultado completamente modificado, por conta da influência econômica e dos chamados cadastros eleitorais.

Um exemplo desta confusão de competências foi denunciada ontem pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL), Omar Coêlho de Mello, e o presidente da Comissão de Combate à Corrupção Eleitoral, José Firmino.

A Policia Militar se recusou a receber uma denúncia de compra de votos em Santana do Ipanema e de acordo com texto distribuído a imprensa teria dito que a instituição estaria tentando transferir o problema para a polícia.

Ainda ontem o vereador Paulo Corintho, do PDT, desistiu da reeleição alegando que não tem condições de concorrer com candidatos que estão se utilizando deste expediente.

O esquema

Não existe muita complexidade no trabalho de compra e venda de voto na periferia de Maceió, cabos eleitorais e funcionários da campanha identificam “lideranças” capazes de cooptar eleitores.

Estas “lideranças” produzem as listas com os cadastros, alguns deles estavam prontos desde a eleição passada e apenas foram reativados, determinado o valor, a pessoa que está na lista recebe metade do valor uma semana antes da eleição e a outra na véspera ou no dia da votação.

Como forma de garantia para receber o dinheiro, a novidade neste pleito é que os integrantes das listas são “obrigados” a colocar um adesivo ou bandeirinha do candidato em suas casas.

Por fim ainda existe muita tensão, já que candidatos estariam disputando o mesmo território e além de Corintho, outros candidatos, um deles detentor de mandato, já sinalizam também com a desistência.

Cadaminuto

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS