Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Sindpol cobra providência sobre material tóxico e tanques de combustível em delegacias

Por Imprensa (quinta-feira, 27/12/2012)
Atualizado em 27 de dezembro de 2012

O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) encaminhou ofícios à Delegacia Geral da Polícia Civil cobrando providência em relação a uma carga de material tóxico armazenado na Delegacia de Roubo e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC) e sobre os tanques de combustível desativados no 9º Distrito Policial, local em que também funciona uma Casa de Custódia.

O sindicato solicita a remoção dos tanques de combustível enterrados na delegacia, que devem estar acumulando gazes, podendo causar explosão a qualquer momento.

O material tóxico se trata de uma carga de fertilizando apreendida e que foi armazenada inadequadamente, colocando em risco a saúde dos policiais civis e da população que circulam na área do Detran, no Pontal da Barra.

A preocupação do sindicato é evitar tragédia similar ou pior ocorrida na Divisão Especial de Investigação e Captura da Polícia Civil (Deic), que vitimou fatalmente a policial civil e sindicalista Amélia Dantas.

Nos documentos, o Sindpol também cobra esclarecimento à Delegacia Civil sobre a forma de acondicionamento de explosivo. “Como eram guardados os explosivos? O local seguiu as normas de segurança, obedecendo a legislação especifica para o porte e guarda de material explosivo? Quais as autoridades tinham o conhecimento do artefato apreendido de assalto à banco e quais dessas autorizaram a permanência desse material? Quais são as medidas adotadas pela direção da Polícia Civil no sentido de conter tragédias semelhantes à Deic?”, indaga.

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS