Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Sindpol entrega relatório das condições da Central de Polícia ao MP

Por Imprensa (sexta-feira, 4/07/2014)
Atualizado em 4 de julho de 2014

O presidente do Sindpol, Josimar Melo, entregou o relatório das precárias condições estruturais e da superlotação de presos da Central de Flagrantes de Maceió ao promotor de Justiça Flávio Gomes da Costa Neto, da Controladoria Externa da Atividade Policial, do Ministério Público.

O promotor de Justiça disse que irá tomar as medidas cabíveis, inclusive dando prazo à Secretaria de Defesa Social e ao sistema prisional para solucionar o problema da superlotação de presos.

O 2° vice-presidente do Sindpol, Carlos José, e os diretores do sindicato Antônio Zacarias e Marcial Fortes estiveram na Controladoria Externa, na última quarta-feira (02), para resolver o problema da superlotação da Central. No dia anterior à visita, os policiais civis da Central suspenderam a confecção de flagrantes devido ao elevado número de presos no local.

O Sindpol solicitou ao promotor de Justiça a solução para a superlotação da Central de Polícia. Para isso, o sindicato confeccionou um relatório, em que registra as precárias condições estruturais do prédio, localizado no bairro do Farol, que atende a população de Maceió. A Central abriga duas equipes de policiais civis plantonistas diariamente e uma quantidade de 25 a 40 presos.

Relatório

O relatório mostra que a carceragem não apresenta segurança para deter os presos. Os detentos possuem contato direto com os cadeados, o que significa perigo de fuga em massa.

Há uma pequena cela pavimento térreo que não possui banheiro. Os presos realizam as necessidades fisiológicas através de uma abertura feita por um cano que dá acesso ao pátio da Central. O local fica sujo e fétido.

As fossas, que ficam localizadas no lado externo da Central de Flagrantes, estão entupidas e exalam mau cheiro.

Há infiltrações nas paredes do térreo e na parede da cozinha que fica localizada ao lado carceragem no pavimento superior.

O prédio não obedece ao Código de Segurança contra Incêndio e Pânico (COSCIP): não possui hidrante, alarmes de incêndio, sinalização e sistema de iluminação de emergência. Existe apenas um extintor de incêndio no pavimento térreo, encontrado no chão e fora da validade.

Acesse o relatório: http://www.sindpol-al.com.br/wp-content/uploads/2014/07/relatório-central-de-flagrantes-maceió.pdf

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS