Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Tribos ocupam sede da Funasa para cobrar serviços em saúde

Por Imprensa (quinta-feira, 19/04/2012)
Atualizado em 19 de abril de 2012

O dia era para ser de comemoração, mas os índios de Alagoas estão usando o dia 19 de abril para protestar pela falta de serviços de saúde. Na manhã desta quinta-feira (19), representantes de três aldeias do interior do Estado ocuparam a sede da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), na Avenida Durval de Góis Monteiro, no bairro do Tabuleiro do Martins, e dizem que somente deixarão o prédio quando tiveram uma reunião com representante do Ministério da Saúde enviado por Brasília.

Há dois anos, a responsabilidade pelos serviços médicos nas aldeias não é mais da Funasa, mas da Secretaria Nacional de Saúde Indígena. O problema é que o órgão funciona no mesmo prédio da fundação, por isso, a sede foi invadida pelos índios das tribos Wassu Cocal, Kariri Xocó e Jeripancó.

Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores dos Servidores Públicos Federais, Jorgelson Veras, falta estrutura na Secretaria de Saúde Indígena, em Alagoas. Por isso a revolta dos índios no Estado. “A maioria das viaturas está quebrada e os servidores não estão recebendo diárias, por isso a precariedade nos serviços. Quem sofre com o descaso são os povos indígenas”, ressaltou.

Jorgelson Veras lamentou o protesto ressaltando que, mesmo sem ter responsabilidade, os serviços da Funasa terminaram sendo prejudicados, já que os índios impediram a entrada dos servidores no prédio.

O cacique Jeová, da tribo Wassu Cocal, um dos coordenadores do movimento, afirmou que os índios somente vão deixar o prédio da Funasa em Maceió quando o Minstério da Saúde mandar alguém de Brasília com poder de decisão para discutir com as lideranças indígenas.

 
Com informações do Tudonahora

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2020 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS