Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Sindpol se solidariza com as policiais militares femininas, repudiando o machismo e a tentativa de desqualificá-las

Por Imprensa (quarta-feira, 22/07/2020)
Atualizado em 22 de julho de 2020

O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) vem a público prestar apoio às policias militares femininas e repúdio ao machismo, à misoginia e a qualquer tentativa de desqualificar as policiais.

O Sindpol se solidariza com a Tenente Coronel do Corpo de Bombeiros, Camila Paiva, e demais policiais militares femininas pela falta de respeito de alguns militares que não enxergam a importância e o profissionalismo das colegas policiais.

Tenente Coronel Camila Paiva deu publicidade aos áudios de um policial militar do Ceará, que se identifica como Rivelino, o qual sugere a um grupo de amigos que as policiais femininas deveriam servir para tirar o estresse dos seus companheiros. “Elas deveriam estar no quartel para tirar o estresse da gente. Ela estava lá para resolver a parada. Meia hora para fulano de tal”, assim o militar se refere às colegas militares nos áudios.

Em vídeo, a tenente coronel do Corpo de Bombeiros se coloca chocada com o áudio, destacando o tamanho desrespeito às mulheres militares. “E ver um policial militar que deveria ser o profissional, que representa o Estado, que representa a proteção da população, colocar-se dessa forma. Não existe brincadeira, nenhum termo aceitável. O pior é ver outros companheiros concordando, e não ver nenhum outro, tendo a capacidade de se posicionar contra esse tamanho absurdo”, disse a militar.

Com a repercussão dos áudios, o Comando Geral da Polícia Militar do Ceará já deu entrada no Justiça Comum e no Ministério Público Militar para que esses militares respondam em todas as esferas jurídica e administrativa.

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2020 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS