Carregando
(82) 3221.7608 | 3336.6427

Peritos criminais suspendem greve após intervenção da União

Por Imprensa (terça-feira, 10/07/2012)
Atualizado em 10 de julho de 2012

Os peritos criminais de Alagoas decidiram suspender a greve que teve início no último dia 26, após um pedido da secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki. A categoria fez assembleia no dia 9 de julho para avaliar a possibilidade e decidiu acatar o pedido da União.

Com a greve, 50% das perícias estavam sendo realizadas no estado. A expectativa dos representantes da categoria é que o atendimento seja normalizado nos próximos dias.

REIVINDICAÇÕES

Segundo representantes da Associação de Peritos, a falta de condições técnicas e estruturais, além do não cumprimento – por parte do Governo de Alagoas – de acordos firmados com a categoria, era o principal motivo para a greve.

Os peritos afirmavam que o governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) teria firmado, pessoalmente, em março passado, compromisso com os peritos em relação ao realinhamento salarial dos trabalhadores, tendo como base a média nacional. Contudo, os servidores da Perícia Oficial de Alagoas afirmam receber o pior salário do Brasil, há seis anos sem reajuste.

BOLSA PARA A PERÍCIA

A Secretaria de Estado da Defesa Social anunciou, após o início da greve, a criação de uma de bolsa para os peritos criminais, no valor de R$ 2,5 mil. O projeto foi enviado para apreciação da Assembleia Legislativa de Alagoas para complementar o salário da cagetoria e aprovado pelos deputados.

“A bolsa não exclui o salário dos peritos e, com ela, eles passam a ganhar mais que a média do Nordeste. Esta é uma questão pontual, que está sendo observada pela secretaria e negociação com a categoria”, afirmou Dário César à reportagem à época.

ESTADO DE GREVE

A Gazetaweb entrou em contato com o presidente da Associação dos Peritos Criminais de Alagoas, Paulo Rogério, que definiu o momento atual como “estado de greve” ao reforçar que a decisão não representa o fim do movimento paredista. A medida foi tomada após a abertura de um canal de negociação entre a categoria e a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, ‘e em respeito também à determinação do presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador Sebastião Costa Filho’, que considerou a greve como ilegal, determinando o imediato retorno dos profissionais ao trabalho.

A partir das 08h, os peritos retormaram atividades, perfazendo o total de 100%. “É importante salientar que o estado de greve é a iminência de a categoria retornar à paralisação, já que foi apenas suspensa. Mas depositamos confiança na secretária porque ela foi bastante solícita e ouviu nossas anseios. E ela só poderá, inclusive, intervir na questão estrutural”, afirmou Paulo Rogério, acrescentando que, durante a greve, o movimento manteve 50% de seus quadros em atividade.

O ‘acordo’ entre as partes foi firmado no último sábado (07) e a secretária retornará a Alagoas dentro de 15 dias, quando voltará a se encontrar com o governador Teotonio Vilela, dando prosseguimento ao processo de negociação. “Retomaremos a greve se não percebermos avanços”, reforçou o presidente da associação.

Gazetaweb

Compartilhe essa notícia

WhatsApp

Comentários

Faça agora seu Recadastramento
e fique informado

© Copyright 2001 - 2021 | SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE ALAGOAS